• Matheus Zani

BRL Relatório de Mercado de Câmbio | T3 2020

Updated: Nov 24, 2020

Panorama Econômico


A produção industrial registrou em março a queda mais acentuada em quase dois anos, ao mesmo tempo que as vendas no varejo sinalizaram a maior perda de ritmo para o mesmo mês nos últimos quatro anos. Além disso, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) caiu 9,7% em abril, na comparação dessazonalizada com o mês anterior, representando a maior queda da série histórica. A maior queda do IBC-Br havia sido registrada em março deste ano (6,2%).


No segundo trimestre, o índice consolidado de dados de produção industrial (PMI, na sigla em inglês) para o mês de abril caiu fortemente, registrando uma nova mínima histórica para o indicador, refletindo o fechamento temporário de empresas, bem como uma demanda mais fraca, afetando volumes de produção e de novos pedidos.


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou deflação de 0,38% em maio, representando a maior queda de preços médios desde agosto de 1998 (-0,51%). Em abril o indicador já havia registrado recuo de 0,31% como se observa no gráfico abaixo.


Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)


Vários bancos de investimento reduziram suas perspectivas para o PIB brasileiro em 2020 nos últimos dias, com o BofA Securities emitindo uma das projeções mais sombrias, revisando sua estimativa de -3,5% para -7,7%.


Face a este cenário, a agência de classificação de risco Fitch Ratings manteve a nota de crédito do Brasil em BB- (BB menos), mas revisou a Perspectiva do Rating para "negativo" de "estável".


Governo e Banco Central


O governo brasileiro reduziu sua previsão do PIB em 2020 para -4,7%, a maior queda desde 1900. A economia só deverá voltar aos níveis pré-crise de dezembro do ano passado em 2022, de acordo um represente do Ministério da Economia - uma recuperação mais lenta do que a sugerida pelo ministro da Economia Paulo Guedes.


Em resposta, no dia 6 de maio a Câmara dos Deputados aprovou a PEC que cria o chamado "orçamento de guerra", liberando cerca de R$ 800 bilhões para medidas de recuperação e ações de combate ao Covid-19. O Senado também fez sua parte, aprovando um pacote de ajuda econômica de R$60 bilhões destinado a estados e municípios.


Com os recentes dados sugerindo que os efeitos serão ainda piores, o Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central do Brasil decidiu, por unanimidade, reduzir a SELIC (a taxa básica de juros) de 3,00% para uma nova baixa histórica de 2,25% ao ano. O corte marcou o oitavo corte consecutivo desde julho de 2019 e a segunda reunião consecutiva em que o Banco reduziu a taxa em 75 pontos base. Esses são cortes enormes.


Embora o COPOM considere adequado o tamanho da resposta atual, deixou a porta aberta para um eventual corte de 25 pontos base se necessário.


FX


A moeda brasileira recuperou um pouco e reduziu o ritmo de alta depois de se aproximar da casa dos 6,00, orbitando um pouco abaixo de 5,00, antes de cair novamente. O câmbio spot atual se encontra 32% desvalorizado em relação ao patamar inicial em 2020.


O USDBRL é, obviamente, a mais volátil entre as moedas emergentes, registrando em termos de volatilidade 15%/ano (4,4%/mês!). Isso corresponde a um VaR (95%) de 25%. Definitivamente apresenta um risco que deve ser gerenciado.


Custo do Hedge


Felizmente, como os bancos centrais vêm reduzindo as taxas, o custo do hedge diminuiu drasticamente. Atualmente, é de aproximadamente 1% ao ano, favorecendo a venda de USD/compra de BRL.

19 views0 comments
Deaglo white logo.png
  • LinkedIn - White Circle

All statements of opinion and/or belief contained in this website and all views expressed represent Deaglo Partners LLC's “Deaglo” own assessment and interpretation of information available to it at the date of this website. The information contained in this website is based on publicly available information only, from third-party sources. Deaglo does not represent that it is accurate, timely, comprehensive or complete and it should not be relied upon as such, nor has it been independently verified. No reliance may be placed for any purposes whatsoever on the information contained in this website. Under no circumstances should the information provided in this website be considered as investment or trading advice, or as a sufficient basis on which to make any investment or trading decisions and is provided to you for information purposes only. Whilst this website has been prepared in good faith, Deaglo and its group undertakings, members and employees from time to time (“Affiliates”) do not make and are not authorized to make any representation, warranty, or undertaking, express or implied, with respect to the information or opinions contained in it and no responsibility or liability is accepted by any of them as to the accuracy, completeness or reasonableness of such information or opinions or any other written or oral information made available to you. Without prejudice to the foregoing and to the fullest extent permitted by law, Deaglo and its Affiliates do not accept any liability whatsoever for any loss however arising, directly or indirectly, from use of this website or otherwise arising in connection therewith. Nothing herein shall not exclude any liability for, or remedy in respect of, fraud or fraudulent misrepresentation. Our professionals may provide oral or written market commentary or trading strategies to our clients. Deaglo will not treat recipients as clients by virtue of their receiving this report. Data may be subject to updates and corrections without notice. No part of this material may be (i) copied or duplicated in any form by any means or (ii) redistributed without the prior written consent of Deaglo.